Ciência e Tecnologia

Projeto com participação do Técnico selecionado por plataforma europeia para ajudar a melhorar a qualidade de vida e a sustentabilidade das cidades

Projeto europeu pretende elaborar um conjunto de recomendações de políticas públicas sobre qualidade de vida e sustentabilidade global das cidades. Investigadores do Técnico coordenam o estudo de caso de Lisboa.

Analisar o potential sócio-económico da utilização de infraestruturas verdes na reestruturação urbana e metropolitana e melhorar a qualidade de vida dos seus habitantes e da sustentabilidade global das cidades. Este é o ambicioso ponto de partida do projeto “Socio-ecological reshaping of European Cities and Metropolitan Areas”, recentemente selecionado pela iniciativa Constructive Advanced Thinking (CAT), que promove redes de investigadores em início de carreira, comprometidos com o desenvolvimento de novas ideias para compreender e enfrentar os desafios sociais atuais ou emergentes.
Na equipa do projeto estão Carlos Oliveira Cruz e Cristina Matos Silva (Instituto Superior Técnico), na companhia de Jochen Hack (PI – TU Darmstadt), Rieke Hansen (Hochschule Geisenheim) e Andrea Nóblega Carriquiry (Universitat Autònoma de Barcelona).

O financiamento do projeto incidirá sobre a realização de workshops e sessões de trabalho, em seis instituições de seis países distintos, durante os próximos três anos. Destas ações sairá um conjunto de recomendações concretas de política pública, a partir do estudo de 3 áreas metropolitanas: Lisboa, Barcelona (Espanha) e Rhine-Main (Alemanha). A análise do caso de estudo de Lisboa estará ao cargo dos investigadores do Técnico.
“A aprovação deste projeto é mais um reconhecimento que o GIGroup obtém e que permitirá reforçar as parcerias internacionais”, partilha Carlos Oliveira Cruz, professor no Departamento de Engenharia Civil e investigador no CERIS – Investigação e Inovação em Engenharia Civil para a Sustentabilidade. O Green Infrastructures Group (GiGroup), liderado por Cristina Matos Silva e Carlos Oliveira Cruz, integra o CERIS e dedica-se à investigação de temas relacionados com as infra-estruturas verdes. “Este grupo é atualmente um dos principais grupos internacionais a investigar sobre o tema do impacto sócio-económico das infra-estruturas verdes”, defende.

O projeto “Socio-ecological reshaping of European Cities and Metropolitan Areas” é um dos apenas três selecionados pela iniciativa CAT e surgiu a partir de uma colaboração da Aliança de Universidades Europeias UNITE!, uma rede europeia de universidades de engenharia, integrada pela Universidade de Lisboa. Em setembro, encontro “Roof, walls and open space – Green Infrastructures and Nature-based Solutions in urban areas”, promoveu o intercâmbio de projetos e teses em curso na área interdisciplinar de Infraestruturas Verdes e Soluções baseadas na Natureza.

A iniciativa CAT integra a NetIAS (Network of European Institutes for Advanced Study) desde 2019 e é apoiada por onze Institutos Europeus de Estudos Avançados (IAS). Fornece fundos para viagens para equipas internacionais e interdisciplinares de três a cinco investigadores em início de carreira, com o objetivo de promover o pensamento construtivo e estimular a discussão.