Saltar para o conteúdo | Saltar para a navegação

Início / Notícias recentes

Palavras-chave

27 de mar. 2015

"O céu é o limite" no segundo dia das JEQ

A XXVIII edição das JEQ - Jornadas de Engenharia Química decorre até sexta-feira, e durante três dias, no Centro de Congressos do Instituto Superior Técnico.

Esta quinta-feira, o destaque foi para a sessão "Engenharia Química - o céu é o limite!", que contou com a presença de vários antigos alunos que hoje ocupam cargos em algumas das maiores empresas da área. Um desses é o Doutor Lino Dias, atualmente a trabalhar na gigante alemã Bayer.

"Vim aqui contar a minha história e tentar, pelo menos, inspirar alguns de vocês que possam ter um percurso semelhante ao meu", começou por dizer, antes de contar um pouco do seu percurso, numa pequena palestra que primou pela informalidade e onde deixou alguns conselhos, por exemplo em relação às candidaturas a empresas. "Não façam candidaturas-tipo para dispararem em todas as direções. Apostem numa candidatura como se fosse um exame, levem a coisa a sério."

"No final de contas, quando temos uma carreira profissional, temos é que pensar no que verdadeiramente interessa: na Bayer, o fundamental é tornar a vida das pessoas melhor, e isso vê-se todos os dias."

Outros oradores convidados na sessão foram a Eng.ª Andreia Pereira (Banco Popular), o Eng.º Luís Araújo (Ordem dos Engenheiros e Associação Portuguesa de Empresas Químicas), o Eng.º André Alexandre (Solvay), a Eng.ª Rita Niza (Galp) e a Doutora Susana Teixeira (Deuteration Laboratory).


Palavras-chave

26 de mar. 2015

IPFN vai desenvolver câmara de raios-X capaz de criar imagens tridimensionais

Um consórcio internacional liderado pelo IPFN - Instituto de Plasmas e Fusão Nuclear do Instituto Superior Técnico vai desenvolver uma tecnologia inovadora que permitirá ver o interior do corpo humano a três dimensões com uma dose mínima de raios-X. Esta tecnologia representa uma alternativa radical à radiografia tradicional e tem aplicações variadas, em áreas como a medicina dentária, traumatologia, deteção oncológica e estudo de materiais.

O projeto, apelidado VOXER, é uma colaboração entre seis centros de investigação europeus e uma grande empresa europeia que será financiada em 3,99 milhões de euros, 760 mil dos quais para Portugal, nos próximos quatro anos. O objetivo é desenvolver uma solução disruptiva para a tomografia de raios-X que permitirá obter imagens a três dimensões com doses mínimas de radiação ionizante.

O financiamento foi conseguido através dos projetos FET, do programa Horizonte 2020, que premeiam o pensamento visionário, abrindo novas possibilidades tecnológicas com soluções radicalmente inocadoras. Nesta edição do concurso, houve apenas 26 projetos selecionados, entre 643 concorrentes.

Marta Fajardo, coordenadora do projeto e Investigadora FCT do Instituto de Plasmas e Fusão Nuclear do Instituto Superior Técnico, afirma que “esta nova tecnologia permitirá realizar imagens com menor dose, contrariamente às tecnologias utilizadas atualmente, que pelo risco associado à radiação ionizante, são reservadas aos casos mais graves.”

A tecnologia revolucionária em que se baseia este projeto já eciste para a luz visível (imagem plenóptica). O desafio atual consiste em desenvolver uma nova câmara de raios-X baseada no mesmo princípio. Para isso, o consórcio alia especialistas de várias áreas, como a dos sensores, raios-X, metrologia e tomografia, bem como reconstrução de imagens tridimensionais.

O IPFN é a sede do Laboratório de Lasers Intensos, uma infraestrutura do Roteiro Nacional que produz fontes de radiação de segunda geração, como raios-X ultra-breves por interação laser-plasma.

Palavras-chave

26 de mar. 2015

e-Civil discute futuro dos alunos em três dias de palestras

A IV edição do e-Civil - Jornadas de Engenharia Civil decorre desde segunda-feira no Centro de Congressos e Salão Nobre do Instituto Superior Técnico, e tem apostado forte em discussões sobre o futuro dos alunos desta área e possíveis saídas profissionais para engenheiros civis.

"O Engenheiro Civil enquanto Empreendedor", com Bernardo Alves (fundador da IZIMOOVE), que contou também com a presença do professor Luís Caldas de Oliveira, vice-presidente do Técnico para as Ligações Empresariais e Empreendedorismo, foi uma dessas sessões, na terça-feira. O engenheiro aproveitou a oportunidade para falar um pouco sobre o seu percurso como empreendedor, destacando que tudo começou durante a sua "atividade por conta de outrem". "Foi nessa altura, a trabalhar para uma grande empresa, que comecei a notar algumas necessidades do mercado."

Assim nasceu a IZIMOOVE, uma startup de base tecnológica que desenvolve consultoria e produtos para gestão e mobilidade. "Aprendemos muita coisa para chegar onde chegámos hoje, e claro que queremos ser bem-sucedidos, mas nada está garantido", explicou, destacando algumas necessidades básicas: "Se quiserem empreender, é fundamental olharem para o mercado e para a vossa concorrência: têm que ter alguma diferença para vencer no mercado".

"Quem está disponível para uma carreira com algum nível de empreendedorismo tem que estar disposto a correr alguns riscos. O vosso trabalho é precisamente minimizá-los", atirou, perante uma plateia em que muitos ponderam, no futuro, criar a sua própria empresa. Apesar disso, lembra, "não é nada desejável que estejam apaixonados pela solução; é importante, sim, que estejam apaixonados pelo problema que querem resolver."

Depois de Bernardo Alves, foi a vez de Filipe Castro Matos, da Startup Lisboa, falar um pouco sobre o programa da incubadora da capital, onde muitas das startups mais bem-sucedidas a nível nacional passaram algum tempo a desenvolver o seu produto.

Quarta-feira o destaque do dia foi para a sessão "O paradigma da Engenharia Civil - Verdades e Mentiras", com os engenheiros Carlos Mineiro Alves (Ordem dos Engenheiros) e Fernando Nunes da Silva (presidente do Departamento de Engenharia Civil, Arquitetura e Georrecursos.