Sobre o Curso

A Engenharia Biomédica usa os instrumentos da Engenharia tradicional, com componentes de física nas áreas da eletrotécnica e mecânica muito acentuadas, para analisar e resolver os problemas da medicina fundamental e da clínica médica, e aplica tecnologia avançada aos problemas complexos do sistema de saúde. Tem sido responsável por muitos dos avanços no diagnóstico, acompanhamento e tratamento médico e é hoje uma das áreas científicas mais relevantes e dinâmicas.

Este curso oferece uma formação única onde intervêm, simultaneamente, o Técnico e a Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, duas escolas de prestígio com um papel determinante na inovação e desenvolvimento na interface entre Engenharia e Medicina.

Numa perspetiva mais ligada à investigação destaca-se a disciplina de Neuroengenharia, em torno da temática das neurociências, em cuja lecionação participam docentes da Faculdade de Medicina e da Fundação Champalimaud.

Plano Curricular

Mestrado Integrado em Engenharia Biomédica está dividido em 1.º Ciclo e 2.º Ciclo.

Duração normal do curso:

  • Licenciatura – 6 semestres
  • Mestrado – 4 semestres

Número de créditos para a obtenção do grau:

  • 180 ECTS – Licenciado (em Ciências de Engenharia Biomédica)
  • 120 ECTS – Mestre (em Engenharia Biomédica)

Tronco comum:

  • 270 ECTS

Áreas de especialização:

  • Bioengenharia Molecular e Celular;
  • Engenharia de Tecidos e Medicina Regenerativa;
  • Biomecânica e Dispositivos Biomédicos;
  • Engenharia Clínica;
  • Imagiologia;
  • Biossinais;
  • Instrumentação Biomédica.

Coerência científica com os mestrados:

  • MMA;
  • MBioNano;
  • MBiotec;
  • MEFarm;
  • MEFT.

Saídas Profissionais

Os engenheiros biomédicos podem trabalhar em diversas áreas, entre as quais se destacam:

  • Indústria;
  • Hospitais;
  • Agências governamentais de regulação dos sistemas de saúde.

Estas instituições têm em geral uma função de coordenação ou de interface entre os campos da engenharia e da medicina.

Podem também exercer funções de consultoria em sistemas de saúde e funções técnicas visando a seleção e a utilização de equipamento médico, e supervisionar o seu desempenho e manutenção. Estão aptos a desenvolver equipamento para cuidados de saúde e investigação. Na indústria, participam na criação de projetos que exijam um conhecimento profundo dos sistemas vivos e da tecnologia, e na conceção e teste de novos produtos.

Estão aptos a desenvolver equipamento para cuidados de saúde e investigação. Na indústria, participam na criação de projetos que exijam um conhecimento profundo dos sistemas vivos e da tecnologia, e participar na conceção e teste de novos produtos.

Vagas e Notas Mínimas de Seriação

Ano Vagas Nota Mínima de Seriação
2016/2017 60 179,5
2017/2018 60 181,0
2018/2019 57 181,0
2019/2020 66 181,5