Sobre o Curso

A Engenharia Aeroespacial tem acelerado a forma como nos movimentamos, através do desenvolvimento de vários tipos de veículos como aeroplanos, helicópteros ou aeronaves robotizadas e da própria gestão do tráfego aéreo. Aproxima-nos também do Espaço com o desenvolvimento de foguetões e satélites, contribuindo ainda para o aperfeiçoamento das vias de comunicação. Assim, o papel de um engenheiro aeroespacial passa por projetar e conceber veículos aéreos e espaciais, bem como desenvolver todos os sistemas de apoio e controlo associados.

Plano Curricular

O 2º Ciclo em Engenharia Aeroespacial tem a duração de 4 semestres (2 anos), correspondentes a 120 ECTS e é composto pelas seguintes componentes curriculares descritas.

Nota: A distribuição curricular representada ao longo dos dois anos poderá ser diferente consoante as escolhas das disciplinas de opção.

  • 1º ano (ECTS)

    • 48
    • 12
  • 2º ano (ECTS)

    • 18
    • 12
    • 30

Plano Curricular

Os currículos dos ciclos de estudos de 1º e 2º Ciclo foram reestruturados no ano letivo 2021/22 no seguimento do Decreto-Lei n.º 65/2018 e da implementação de um novo modelo de ensino e práticas pedagógicas. O Mestrado em Engenharia Aeroespacial provém do anterior Mestrado Integrado em Engenharia Aeroespacial.

  1. Especialidade: Área Principal (66 ECTS)

    O Mestrado em Engenharia Aeroespacial (Major) aprofunda os conhecimentos adquiridos no 1º Ciclo, contando com as seguintes três áreas de especialização principais e respetivas especializações secundárias:

    Aeronaves (componente mecânica dos veículos aéreos)

    • Aerodinâmica e Propulsão: focada no comportamento do veículo no meio envolvente e princípios dos motores aeronáuticos.
    • Estruturas e Materiais: direcionada para o desenvolvimento dos materiais necessários às aeronaves, seus processos de fabrico e equipamento industrial necessário.

    Aviónica (componente eletrotécnica dos veículos aéreos)

    • Controlo e Sistemas: centrada no desenvolvimento de sistemas de controlo da aeronave, navegação e decisão.
    • Eletrónica e Telecomunicações: focada na preparação das aeronaves para transmissão de informação (controlo de tráfego, sinais, rádio) e no equipamento eletrónico das aeronaves.

    Espaço (direcionada para os veículos, equipamentos e gestão de missões espaciais)

    • Veículos e Missões: focada no estudo e desenvolvimento de veículos não convencionais destinados a missões espaciais.
    • Modelação Multidisciplinar: estudar, simular e planear missões espaciais de forma integrada, avaliando as suas necessidades, seja em cada subsistema ou na missão como um todo.
  2. Opções Livres (24 ECTS)

    Parte do currículo é de opção totalmente livre, significando que poderão ser escolhidas disciplinas não só das áreas da Engenharia Aeroespacial, como de qualquer área científica oferecida no Técnico.

    Nesta componente, inclui-se a possibilidade de realização de um Minor, um conjunto de disciplinas de âmbito multidisciplinar correspondente a 18 ECTS. A oferta é transversal para todos os cursos do Técnico.

    Minors

    Poderão ser ainda creditadas atividades extracurriculares, num máximo de 6 ECTS.

    A disciplina de Projeto em Engenharia Aeroespacial poderá ser escolhida como uma opção de 6 ECTS.

  3. Dissertação (30 ECTS)

    A dissertação é o trabalho final do ciclo de estudos, permitindo a cada estudante debruçar-se e especializar-se sobre um assunto específico. Poderá ser realizado num dos seguintes âmbitos:

    • Tese Científica
    • Estágio em Empresa
    • Projeto multidisciplinar Capstone

Destinatários

O Mestrado em Engenharia Aeroespacial destina-se a licenciados em áreas relacionadas com a Engenharia, nomeadamente as que contam com percursos curriculares em Mecânica, Eletrotécnica e áreas afins.

O curso é lecionado em português podendo algumas unidades curriculares ser lecionadas em língua inglesa, caso existam alunos internacionais ou em programas de mobilidade inscritos.

Saídas Profissionais

Os Engenheiros Aeroespaciais do Técnico poderão trabalhar em setores como a indústria da aviação, indústria mecânica, indústria eletrónica, telecomunicações e desenvolver atividades como:

  • Projetar, analisar, construir e testar sistemas aeroespaciais, tais como foguetes, satélites e aeronaves;
  • Investigação científica e desenvolvimento (I&D);
  • Controlo de qualidade;
  • Consultoria e funções de liderança, chefia e gestão;
  • Comercialização de produtos, equipamentos e processos;
  • Formação profissional e ensino.

Factos e Números

100%

diplomados a trabalhar

62,2%

empregabilidade na área de formação

40,5%

internacionalização

Fonte: Observatório de Empregabilidade do Técnico | Dados referentes ao ano letivo 2016/17.

Condições de Acesso

Podem candidatar-se a um 2.º ciclo do Técnico estudantes que:

  • sejam titulares de uma formação de 1.º ciclo na área de Ciências e Tecnologia (excetua-se o caso do 2.º ciclo em Arquitetura que pressupõe uma formação de 1.º ciclo em Arquitetura);
  • sejam detentores de um currículo escolar, científico ou profissional, que ateste a sua capacidade para realização do mestrado a que se candidatam.

Os candidatos são seriados segundo os seguintes critérios:

  • Afinidade entre o curso que possuem e o curso a que se candidatam;
  • Natureza do grau que possuem;
  • Sucesso escolar no curso que frequentaram.

Nota: caso seja solicitado, poderão ser valorizados o currículo académico, científico ou profissional e a prestação do candidato em entrevista.

Núcleos de Estudantes

Os alunos do Técnico dinamizam autonomamente e proativamente projetos que complementam o seu percurso académico, como os Núcleos de Estudantes, nos quais adquirem competências e mais-valias que os tornam mais competitivos no mercado de trabalho.

O Aerotéc é a principal estrutura de estudantes do curso e promove atividades como:

  • Projetos de desenvolvimento de protótipos 
  • Competições nacionais e internacionais
  • Formações para estudantes do Técnico
  • Workshops para estudantes do ensino secundário
  • Repositório de materiais de estudo
  • Revista do curso (Revista Aeroespacial)
  • Estágios de verão na iniciativa Técnico Summer Internships
  • Organização da Semana Aeroespacial