Sobre o Curso

A formação em Engenharia Física Tecnológica concretiza a visão de que o progresso económico, humano e social pode ser alcançado pela compreensão e manipulação da matéria, não apenas à escala macroscópica, mas também a escalas que vão desde a nanotecnologia às partes distantes e desconhecidas do Universo. Um engenheiro físico tecnológico é diariamente desafiado a participar no desenvolvimento científico para estender os limites da ciência, obtendo e aplicando novos conhecimentos na fronteira entre a ciência, a engenharia e a tecnologia.

Plano Curricular

O 2º Ciclo em Engenharia Física Tecnológica tem a duração de 4 semestres (2 anos), correspondentes a 120 ECTS, e é composto pelas componentes curriculares descritas.

Nota: A distribuição curricular representada ao longo dos dois anos poderá ser diferente consoante as escolhas das disciplinas de opção.

  • 1º ano (ECTS)

    • 48
    • 12
  • 2º ano (ECTS)

    • 18
    • 12
    • 30

Plano Curricular

Os currículos dos ciclos de estudos de 1º e 2º Ciclo foram reestruturados no ano letivo 2021/22 no seguimento do Decreto-Lei n.º 65/2018 e da implementação de um novo modelo de ensino e práticas pedagógicas. O Mestrado em Engenharia Física Tecnológica provém do anterior Mestrado Integrado em Engenharia Física Tecnológica.

  1. Especialidade: Área Principal (48 ECTS)

    O Mestrado em Engenharia Física Tecnológica (Major) aprofunda os conhecimentos adquiridos no 1º Ciclo, introduzindo temáticas em áreas como Física de Partículas, Plasmas, Física Nuclear, Nanoeletrónica, Astrofísica, Relatividade, Cosmologia, Física da Matéria Condensada, entre outras.

    O plano curricular oferece a possibilidade de escolha de disciplinas nesta componente curricular.

  2. Opções Livres (30 ECTS)

    Parte do currículo é de opção totalmente livre, significando que poderão ser escolhidas disciplinas não só das áreas da Engenharia Física, como de qualquer área científica oferecida no Técnico.

    Nesta componente, inclui-se a possibilidade de realização de um Minor, um conjunto de disciplinas de âmbito multidisciplinar correspondente a 18 ECTS. A oferta é transversal para todos os cursos do Técnico.

    Minors

    Poderão ser ainda creditadas atividades extracurriculares, num máximo de 6 ECTS.

  3. Projeto Integrador (12 ECTS)

    De forma a integrar os conhecimentos adquiridos no Mestrado, propõe-se o estudo e elaboração de um projeto, individualmente ou em grupo, e em ambiente académico ou empresarial, sobre um desafio da Engenharia Física.

  4. Dissertação (30 ECTS)

    A dissertação é o trabalho final do ciclo de estudos, permitindo a cada estudante debruçar-se e especializar-se sobre um assunto específico. Poderá ser realizado num dos seguintes âmbitos:

    • Tese Científica
    • Estágio em Empresa
    • Projeto multidisciplinar Capstone

Destinatários

O Mestrado em Engenharia Física e Tecnológica destina-se a licenciados em áreas relacionadas com a Engenharia, nomeadamente as que contam com percursos curriculares em Física, Energia, Nanotecnologia, Eletrónica, Engenharia Biomédica, Mecânica e áreas afins.

O curso é lecionado em português podendo algumas unidades curriculares ser lecionadas em língua inglesa, caso existam alunos internacionais ou em programas de mobilidade inscritos.

Saídas Profissionais

Os diplomados em Engenharia Física Tecnológica do Técnico poderão trabalhar em empresas de tecnologia de ponta e em investigação e desenvolvimento (I&D). Dado o seu perfil multidisciplinar e formação em áreas transversais, podem atuar também em:

  • Indústria de microtecnologias e nanoeletrónica;
  • Indústria de equipamentos médicos e bioengenharia;
  • Indústria de aeronaves e tecnologia espacial;
  • Setor da energia;
  • Desenvolvimento de software;
  • Instituições de ensino superior e/ou investigação científica;
  • Consultoras e na banca;
  • Instituições governamentais.

Factos e Números

88,5%

diplomados a trabalhar

78,3%

empregabilidade na área de formação

17,4%

internacionalização

Fonte: Observatório de Empregabilidade do Técnico | Dados referentes ao ano letivo 2016/17.

Condições de Acesso

Podem candidatar-se a um 2.º ciclo do Técnico estudantes que:

  • sejam titulares de uma formação de 1.º ciclo na área de Ciências e Tecnologia (excetua-se o caso do 2.º ciclo em Arquitetura que pressupõe uma formação de 1.º ciclo em Arquitetura);
  • sejam detentores de um currículo escolar, científico ou profissional, que ateste a sua capacidade para realização do mestrado a que se candidatam.

Os candidatos são seriados segundo os seguintes critérios:

  • Afinidade entre o curso que possuem e o curso a que se candidatam;
  • Natureza do grau que possuem;
  • Sucesso escolar no curso que frequentaram.

Nota: caso seja solicitado, poderão ser valorizados o currículo académico, científico ou profissional e a prestação do candidato em entrevista.

Núcleos de Estudantes

Os alunos do Técnico dinamizam autonomamente e proativamente projetos que complementam o seu percurso académico, como os Núcleos de Estudantes, nos quais adquirem competências e mais-valias que os tornam mais competitivos no mercado de trabalho.

O Núcleo de Física (NFIST) é a principal estrutura de estudantes do curso e promove atividades como:

  • Semana aberta para alunos do ensino secundário (Semana da Física)
  • Exposições de Física (Circo da Física e Física sobre Rodas)
  • Observações astronómicas (Astro)
  • Revista do curso (Pulsar)
  • Organização das Jornadas de Engenharia Física
  • Estágios de verão na iniciativa Técnico Summer Internships
  • Organização da Escola de Verão de Astronomia
  • Atividades lúdicas e recreativas